terça-feira, 16 de dezembro de 2008

De que são feitos os avós?

“Vovó, você trouxe alguma coisa pra mim?”

Com que freqüência você escuta seu filho proferir estas palavras quando o vovô ou a vovó chegam para uma vista? Como avó de 2 – uma neta ainda usando fraldas e um garotinho de dez anos – às vezes pergunto-me do que o meu neto, que tem o poder de me derreter com seus beijos melados, pensa que são feitos os avós. Trata-se de açúcar e tempero e... questões monetárias?

Infelizmente tornei-me sua parceira no crime do brinquedo. Ele pede alguma coisa e eu e seu avô compramos tudo o que seu coração desejar. Ultimamente porém, começo a ver o erro no meu comportamento. Nossas freqüentes e frenéticas idas à lojas de brinquedos não são o rico legado que quero deixar para ele ou para sua irmã quando ela estiver maiorzinha. Brinquedos quebram, são substituídos, ou ficam esquecidos no fundo do cesto. Por outro lado, as memórias ficam pra sempre conosco – mesmo depois que a pessoa que as plantou e as ajudou a florescer não mais estiver aqui.

Quando eu era uma criança pequena, meus avós não tinham muito dinheiro, portanto, presentes eram itens raros. O tempo que gastava com eles geralmente envolvia pequenas farras com simples prazeres da vida: bater um bolo (ou simplesmente lamber a colher), escolher feijões numa grande tigela na mesa da cozinha, brincar de esconde-esconde atrás dos perfumados lençóis recém pendurados no varal, ou ouvir suas nostálgicas histórias, tão cheias de vida e detalhes que bastava fechar os olhos e imaginar a época durante a qual eles cresceram.

Quando meu dia está sobrecarregado com coisas que eu deveria ter feito ontem ou minha alma precisa de ânimo, eu lembro daqueles tempos e dos preciosos presentes imateriais que meus avós me deram, e meus espíritos imediatamente se levantam.

Desfrutar e extrair prazer das coisas simples da vida é algo que também tentei incutir na vida de meus filhos enquanto eles passavam tempo com seus avós. Mas devo admitir que, nos dias de hoje, isto é muito difícil. Anúncios publicitários bombardeiam as crianças com mensagens sobre o que elas PRECISAM TER para estarem bem. Avós que já estão predispostos a bajular seus netos com presentes dificlmente resistirão ao conhecer o tão sonhado netinho/a.

Então, de que são feitos os avós? Certamente de muito mais do que eles ou nossas crianças pensam. Avós valem muito mais do que todos os brinquedos, balas e presentes que o dinheiro possa comprar. Avós são feitos de sabedoria, inteligência, paciência e amor inabalável. Avós são os mantenedores dos sonhos e professores de sua tradição para seus netos.

Como mães, podemos ser instrumentos de grande ajuda para que os avós de nossos filhos sejam capazes de criar memórias substanciais que possam ser passadas para nossas crianças. Você pode começar com uma conversa com os avós quando as crianças não estiverem por perto, para que possa explicar porque é importante esta mudança. Deixe que eles saibam que você está tentando nutrir em seus filhos um espírito de gratidão. Dê a eles exemplos concretos de como você está começando a observar que quanto mais eles ganham, menos eles dão valor e, como isso nos chateia enquanto pais. Por exemplo, “Mamãe, eu notei no aniversário da Mya como ela abria os presentes, simplesmente rasgando rapidamente o papel, dava uma rápida olhada no presente e partia pro próximo para ver se era maior ou melhor. Sei que ela ainda é nova, mas quero que ela aprenda a apreciar TUDO o que ganha.”

Em seguida, tente lembrar-se de suas próprias doces recordações do tempo passado em companhia de seus avós. Quais eram os sons, as texturas e os aromas dos quais você se lembra quando se imagina uma pequena menina na presença deles? (...) Você trocaria qualquer uma destas memórias, tão simples e ainda assim tão maravilhosas por um tour de compras? Eu duvido. Compartilhe isto com seus filhos na mesa do jantar ou na cama, antes de dormir.

Então este é o momento de dar uma folha com sugestões divertidas para os avós de seus filhos. Eles não estourarão suas contas bancárias nesta época de recessão pela qual passamos e, ainda assim, poderão bajular à vontade seus netinhos com muito amor.

Quando seu neto vier visitá-lo(a), você declara que este é um “Dia sem compras” ou “Fim de semana sem compras”. Decore um painel que explicite o fato de que fazer compras está fora dos planos e depois façam um bolo para celebrar esta data especial. Crianças amam festas e bolo, não importa qual a ocasião!

Faça uma lista de atividades com seu neto quando ele/ela vierem visitá-lo. Troquem idéias e pensem em coisas divertidas para fazer que não custem um tostão. Uma lista para começar:

  • Ler um livro, ou pegar um diário em branco e escrever um livro em conjunto
  • Ir à biblioteca para ler histórias ou fazer trabalhos de arte
  • Olhar um álbum de fotos da família
  • Fazer um chá da tarde
  • Juntar roupas antigas e brincar de se fantasiar
  • Ensinar um ao outro uma música ou dança antiga
  • Fazer biscoitos ou bolinhos
  • Visitar um vizinho
  • Dar uma volta pelas redondezas e ler as placas de trânsito, ou contar os caminhões ou ônibus que passam
  • Fazer massinha caseira colorida
  • Fotografar os rostos de cada um e fazer molduras para a posteridade
Fazer um “pote dos desejos” para uma criança necessitada. Ajude seu neto a escrever em pequenos pedaços de papel nomes de coisas baratinhas ou cortar figuras de revistas de coisas que ela/ele imaginem que uma criança carente desejaria ter e coloque no pote. Todo mês, ou mês sim mês não, peça a seu neto que tire um papel/figura do pote para que vocês comprem como presente para aquela criança carente. Deixe que seu neto decore um papel velho para embrulho com retalhos, adesivos e planejem uma vista à um lar ou abrigo para doar seu presente. Isto ensinará a seus netos uma valiosa lição sobre compaixão e empatia pelos outros e ajudará a cultivar um espírito doador.

Ao invés de presentes, faça uma contribuição para um fundo de poupança que será guardado para pagar a faculdade de seus netos.

Finalmente, vovô e vovó, lembrem-se que sempre serão uma parte muito importante de seu ciclo familiar. Sua presença, seu sorriso, seu caloroso abraço, sua gargalhada, sua atenção exclusiva, seu colo sempre pronto para uns apertinhos, têm valor inestimável para seu neto/a.

Os avós de seus filhos podem vacilar de vez em quando e retomar seus antigos comportamentos, principalmente na época das festas, mas está ok. Eles são humanos. Basta somente lembrá-los antes que eles exagerem, do que realmente são feitos os avós – mais uma vez.

Por Jeanine DeHoney
Retirado da revista
Mothering
tradução livre por Bianca Balassiano Najm

4 comentários:

Liane disse...

Achei esse texto lindo e já encaminhei para as duas avós da minha filha. Na minha época foi assim, hoje vovó tem alzheimer, e felizmente as lembranças que tenho são dos melhores passeios, festas de Natal com direito a desfile com roupas da vó e brincos de pressão, afinal presentear 13 netos não é fácil.

Agora tenho que dar uma espiada aqui todo dia, é muita novidade.
O joguinho anterior eu recebi por email e não consegui nenhuma vez. :0(

Beijos e adorei as fotos do orkut.

vallopes disse...

Gostei muitoooo do texto realmente muito interessante foi de muita valia para mim serei vovó de gêmeas e quero dar o melhor para a criação das minhas lindas Beijos!

Fernanda disse...

Oi Flavia,

Minha dica de site de beleza é o da Dr Luciana, http://minhapeleemelhorqueasua.blogspot.com/
Excelente! Interessante e super bem humorado! Beijos

vallopes disse...

Gostei muitoooo do texto realmente muito interessante foi de muita valia para mim serei vovó de gêmeas e quero dar o melhor para a criação das minhas lindas Beijos!